segunda-feira, 22 de julho de 2013

Honre Seus Pais.

Foto: Honre Seus Pais.

Em um programa de televisão, o apresentador chamava seu público para um jogo.

Neste jogo, havia uma medida, um número oculto, que aquele que fosse participar se descobrisse a medida certa, o numero, ganharia um premio de R$: 20.000,00 (Vinte mil Reais).

Neste jogo, se apresentou para tentar ganhar esse premio, uma moça, que seu objetivo principal ganhando, seria oferecer um presente ao seu pai, que morava no Estado de Pernambuco onde a seca é grande.

Essa moça ao tentar desvendar o valor da medida e o numero oculto, não foi feliz em sua resposta, errou e não ganhou o premio tão desejado e assim também não pode realizar o sonho de dar a surpresa ao seu querido pai.

Foi então, que a produção do programa de TV, vendo a nobreza da causa, ofereceu a essa moça uma segunda chance em disputar novamente o premio, assim também acendendo a chama em realizar seu sonho de levar a água onde seus pais necessitavam tanto.

Nesta nova tentativa, a moça teve um bom resultado, sendo feliz em sua prova e acertando os resultados esperados, tendo como premio os R$: 20.000,00 (Vinte mil Reais) que precisava, porem...

Sua alegria foi maior do que esperava, pois havia um empresário da área de poços artesianos, que assistia esse programa, e se sensibilizando com a história da moça ofereceu gratuitamente o poço artesiano que seus pais necessitavam e assim foi feito.

Com essa história, podemos aprender que quando honramos nossos pais, se cumpre em nossas vidas o único mandamento bíblico com promessa que diz assim:

"Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor,o teu Deus, te dá".
(Exôdo. 20.12).

“Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem e vivas muito tempo sobre a terra” 
(Efésios. 6:1-3).

Paulo Krajewski.

Honre Seus Pais.

Em um programa de televisão, o apresentador chamava seu público para um jogo.

Neste jogo, havia uma medida, um número oculto, que aquele que fosse participar se descobrisse a medida certa, o numero, ganharia um premio de R$: 20.000,00 (Vinte mil Reais).

Neste jogo, se apresentou para tentar ganhar esse premio, uma moça, que seu objetivo principal ganhando, seria oferecer um presente ao seu pai, que morava no Estado de Pernambuco onde a seca é grande.

Essa moça ao tentar desvendar o valor da medida e o numero oculto, não foi feliz em sua resposta, errou e não ganhou o premio tão desejado e assim também não pode realizar o sonho de dar a surpresa ao seu querido pai.

Foi então, que a produção do programa de TV, vendo a nobreza da causa, ofereceu a essa moça uma segunda chance em disputar novamente o premio, assim também acendendo a chama em realizar seu sonho de levar a água onde seus pais necessitavam tanto.

Nesta nova tentativa, a moça teve um bom resultado, sendo feliz em sua prova e acertando os resultados esperados, tendo como premio os R$: 20.000,00 (Vinte mil Reais) que precisava, porem...

Sua alegria foi maior do que esperava, pois havia um empresário da área de poços artesianos, que assistia esse programa, e se sensibilizando com a história da moça ofereceu gratuitamente o poço artesiano que seus pais necessitavam e assim foi feito.

Com essa história, podemos aprender que quando honramos nossos pais, se cumpre em nossas vidas o único mandamento bíblico com promessa que diz assim:

"Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor,o teu Deus, te dá".
(Exôdo. 20.12).

“Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem e vivas muito tempo sobre a terra”
(Efésios. 6:1-3).

Paulo Krajewski.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012



 

Conheça as Doze Tribos De Israel.

שנתי העשרה שבטי ישראל 

 


O nome Yisra’el foi outorgado A Jacó pelo próprio Anjo Adonai, depois de Jacó ter lutado com ele, a noite toda (Gn 32:24-25). A luta de Jacó foi espiritual, em oração, “Como príncipe lutou com o anjo, e prevaleceu; chorou e lhe suplicou. Em Betel o achou, e falou com ele ali; sim, com o Eterno, o ELOHIM TZEVAOR/dos Exércitos, o HaShem é o seu nome.” (Os 12:4-5) e também física . E nessa luta o patriarca venceu “prevaleceu”. Isso não quer dizer que Jacó tenha derrotado a Elohim, mas que finalmente satisfez a exigência que Elohim fez na aliança: Submissão dócil (o que se vê na coxa ferida) (Gn 32:25-26).
E ele continuou se recusando a deixar o anjo partir até que este o abençoasse. O Eterno Elohim então anunciou: “Já não te chamarás Jacó (suplantador) (Ya’acob) e sim, “YISRAEL” (Yisra’El): pois como príncipe lutaste e como príncipe tiveste poder.”
O substantivo aparece primeiro na Bíblia como nome “honorífico” (que confere honrarias) do patriarca Yaakov, depois como nome próprio designativo da Nação de Yisrael, a qual descendeu dos 12 filhos dele.
Depois da morte de Yaakov “Yisra’El” continuou sendo empregado como nome alternativo do patriarca. Mas, assim como a expressão “benê Yisra’El”, “filhos de Israel”, perdeu o sentido literal de os 12 filhos do patriarca “São estes os nomes dos filhos de Yisrael, que entraram no Egito com Jacó, cada um com a família.” (Ex 1:1), passou a designar de forma mais metafórica os seus descendentes em geral. De igual forma “Israel” veio designar a nação hebraica.
“E ouvirão a tua voz. Então ireis tu e os anciãos de Ysrael, ao rei do Egito e lhe direis: O Eterno, o Elohim dos hebreus, nos encontrou. Agora, pois, deixa-nos ir caminho de três dias para o deserto, a fim de que sacrifiquemos ao Eterno nosso Elohim.” (Ex 3:18)
Aqui a baixo estão os Estandartes das Doze Tribos de Israel

Ruben

Significa “Eis um filho”. …pois “Ele atendeu (viu) a minha aflição”. ( RA’UBeANYI)
Primogênito de Jacó e Lia. Eis um filho! Foi um favor especial que Elohim concedeu a ela e, conforme o nome do menino parece indicar, uma bênção inesperada (Gn 29:32) “E concebeu Lia, e deu à luz um filho, e chamou-o Rúben; pois disse: Porque o HaShem atendeu à minha aflição, por isso agora me amará o meu marido.”
“Rúben” pode significar “Eis um filho” e ao mesmo tempo soar significantemente parecido com a idéia de “ele viu a minha aflição” “ver”.
Rúben revelou alguém cheio de energia e determinação, mas não muito disciplinado. Ele cometeu um crime bem repulsivo (Gn 35:22). A posição destacada de líder passou para Judá (Gn 49:8-10). E a porção dobrada para os filhos de José (Gn 48:5)
Foi a primeira tribo a se instalar, mesmo antes da transferência da liderança de Moisés para Josué (Nm 32).
Se instalaram no planalto de Moabe ao norte do rio Arnom.

Simeão

Significa “Ouvindo ou Audição” “Soube o Eterno que eu era preterida”. No hebraico é audição
Segundo filho de Jacó e Lia (Gn 29:33). Nome dado a Segunda tribo de Israel. Simeão é mencionado por diversas vezes em sua posição apropriada, isto é, o segundo lugar, nos capítulos que abordam a organização e arranjo do acampamento de Israel (Nm 1:6, 22-23) “De Simeão, Selumiel, filho de Zurisadai; Dos filhos de Simeão, as suas gerações pelas suas famílias, segundo a casa dos seus pais; os seus contados, pelo número dos nomes, cabeça por cabeça, todo o homem de vinte anos para cima, todos os que podiam sair à guerra. Foram contados deles, da tribo de Simeão…”

A tribo de Simeão, a exemplo de várias outras, não conseguiram capturar todo o território que lhe foi atribuído.

Mas que, a despeito disso, a tribo era importante na área sul da terra prometida, isso pode ser demonstrado pelo fato de que um maior número de homens aliou-se a Davi, no início da monarquia, provenientes de Simeão, em um total de 7.100 homens.

A incrustação de Simeão, dentro do território de Judá, significou que as duas tribos foram-se misturando cada vez mais, e que Judá tornou-se a tribo predominante dentre as duas (Jz 1:3).

Levi

Significa “Unido” “Desta vez se unirá mais a mim meu marido”. LEVI, muitos estudiosos associavam a palavra hebraica “LAVAH” com o nome próprio Levi, que significa “unir, juntar”.
Em (Nm 18:2, 4), há um jogo de palavras com esse sentido “E também farás chegar contigo a teus irmãos, a tribo de Levi, a tribo de teu pai, para que se ajuntem a ti, e te sirvam; mas tu e teus filhos contigo estareis perante a tenda do testemunho. Mas se ajuntarão a ti, e farão o serviço da tenda da congregação em todo o ministério da tenda; e o estranho não se chegará a vós.”
Levi foi o terceiro filho de Jacó com Lia. (Gn 29:34)
Levi, progenitor da tribo de Levi, participou de um incidente particularmente reprovável (Gn 34).
Sua irmão Diná foi violentada por Siquém, filho do cananeu Hamor. Ele teria então permissão para casar-se com ela caso ele e toda a sua cidade aceitassem ser circuncidados. Eles se circuncidaram, mas, enquanto se recuperavam da operação, Simeão e Levi foram à cidade e mataram todos os habitantes do sexo masculino (Gn 34:25-26).
Seu pai Jacó, ficou muito indignado com esse acontecimento que mesmo no leito de morte se lembrou disso. Em vez de abençoar Levi, ele predisse, que tanto os seus descendentes quanto os de Simeão ficariam espalhados no meio de Israel (Gn 49:7).
Pela fé os descendentes de Levi transformaram-se numa bênção.
Presume-se que a tribo de Levi não participou do incidente do bezerro de ouro. (Gn 32) Demonstrado assim uma posição espiritual superior, e provando que sua escolha para o serviço sagrado estava justificada.
HaShem adotou essa tribo como sua própria herança em lugar do primogênito de cada família (Nm 3:11-13) “Eis que tenho tomado os levitas do meio dos filhos de Israel, em lugar de todo o primogênito, que abre a madre, entre os filhos de Israel; e os levitas serão meus.
Porque todo o primogênito é meu; desde o dia em que tenho ferido a todo o primogênito na terra do Egito, santifiquei para mim todo o primogênito em Israel, desde o homem até ao animal: meus serão; Eu sou o Elohim Eterno.”

Judah

Significa “Desta vez louvarei ao Eterno Elohim”. Judá foi o nome do quarto filho do patriarca Jacó, nascido de Lia. Em (Gn 29:35) “E concebeu outra vez e deu à luz um filho, dizendo: Esta vez louvarei ao Eterno Elohim. Por isso chamou-o Judá; e cessou de dar à luz.” oferece uma explicação do significado do nome Judá em hebraico; “dar graças” , “elogiar”, “louvar”.
Em (Gn 49:8) então o patriarca prossegue com promessas específicas.
A graça soberana de Elohim estava, porém, atuando na vida de Judá, tanto no fato de ele se tornar um líder entre seus irmãos (Gn 43:3; 44:14; 46:28)
Foi Judá que mais se destacou em arrependimento e confissão pelo pecado contra José. (Gn 43:8)
A bênção de Jacó prometeu a Judá: liderança, vitória e reinado.

(Gn 49:8-12) “Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de teus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho, da presa subiste, filho meu; encurva-se, e deita-se como um leão, e como um leão velho; quem o despertará? O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos. Ele amarrará o seu jumentinho à vide, e o filho da sua jumenta à cepa mais excelente; ele lavará a sua roupa no vinho, e a sua capa em sangue de uvas. Os olhos serão vermelhos de vinho, e os dentes brancos de leite.”
Antecipando assim a linhagem real estabelecida pela aliança com Davi e derradeiramente, com o Adonai,Yeshúa HaMashiach, o qual haveria de combinar em sua pessoa o rei, o ungido (Mashiach).
Claro que Judá era o nome de uma tribo que não teria maior realce até que Davi, filho de Jessé, foi ungido rei sobre Judá e, posteriormente, sobre todo o Ysrael (II Sm 2: 4)
- A contribuição religiosa significativa de Judá foi o estabelecimento de Yerushalaim (no território de Judá) como “O lugar que o Eterno vosso Elohim escolher … para ali por seu nome”
(Dt 12:5,11,14,18,21,26)
Depois da apostasia de Salomão (I Rs 11:1-13), Elhim separou Yisrael (dez tribos) de Judá, que desde os dias de Josué incluía o território de Simeão (Is 19:9). Embora os profetas falassem do povo de Israel e dos filhos de Judá como sendo povo de Elohim por causa de um relacionamento de aliança, que tem origem em Abraão. Assim mesmo o relacionamento da aliança prosseguiu através de Judá somente após a desastrosa queda de Samaria e do Reino do Norte. Usa-se o nome “Ysrael” mais especificamente para designar o povo com quem Elohim estabeleceu aliança, denotando a totalidade dos eleitos, que então unidos a Adonai, mas, depois da queda de Samaria, Miquéias, Isaías e outros escritores usam o termo “Ysrael” ao falarem de Judá, que em essência é um nome político.
(Is 5:7) Mas, Judá como Nação deveria durar pouco mais de um século, pois o cativeiro babilônico já estava declarado. Os profetas estiveram continuamente chamando o povo de Elohim a voltar para o verdadeiro relacionamento da aliança. Com o exílio babilônico, Judá não perde sua identidade básica, embora fosse um povo que não estava em sua própria terra.
Uma pequena porcentagem retornou para sua pátria durante o período persa, embora os dois grupos tenham em última instância, participado da atuação providencial de Elohim. O remanescente que voltou à terra tornou-se o canal pelo qual veio o Messias prometido.

DAN

Significa “Meu Pai [Adonai] é juiz”. “HaShem me julgou e também me ouviu a voz”.
Essa tribo consistia nos descendentes do patriarca Dã, filho de Yaakov com Bila, criada de Raquel e concubina de Yaakov (Gn 30:6) Essa tribo, na época do Shemot/Êxodo, era a Segunda mais numerosa das tribos de Ysrael com 62.700 homens (Nm 1:39).

Seu território, porção noroeste de Canaã; mas, visto que a área era muito pequena para a tribo, um grupo de danitas buscou estabelecer-se bem ao sul de Canaã. Foi assim que ele ocuparam o distrito de “Lesém”, que foi conquistado com relativa facilidade. “Lesém” foi rebatizado com o nome de “Dã”, que veio a indicar extremo norte do território de Israel.
O território original que Dã recebeu era fértil, ocupar-se do comércio e da pesca. (Jz 5: 17).

Naftali

Significa “Minha Luta” “Com grandes lutas tenho competido com minha irmã, e logrei prevalecer”.
Foi o sexto filho de Jacó e o segundo de Bila, criada de Raquel. Era irmão de Dã.

O território dos descendentes de Naftali ficava ao Norte e ao ocidente do mar da Galiléia, estendendo-se desde as montanhas do Líbano, até as extremidades daquele lago. Incluía as áreas ricas e férteis adjacentes às cabeceiras do rio Jordão e a praia ocidental do mar da Galiléia (Dt 33:23) (Js 19:32-39).
Na qualidade de tribo de fronteira, o território de Naftali estava sujeito a muitas invasões vindas do norte e do leste. O cântico de Débora celebra os heróis de Naftali, que arriscaram a própria vida a fim de participarem do livramento de Ysrael (Jz 5:18).
No primeiro censo de Ysrael essa tribo contava com 53.400 homens, sendo então a sexta mais numerosas das tribos (Nm 1:43).

Gade

Significa “Afortunado” “Uma tropa (ou muitos filhos) ou boa fortuna estava chegando”. O sétimo filho de Yaakov era filho de Zilpa, criada de Lia, concubina de Yaakov. ele foi chamado assim, para indicar que um tropa (ou muitos filhos) ou uma boa fortuna estavam chegando (Gn 30:9-11).
Quando essa tribo saiu do Egito, foram encabeçados por Eleasafe, filho de Deuel. Dispunham de 45.650 homens aptos para o serviço militar. Porém, durante a peregrinação pelo deserto, seu número diminuiu para 40.500 (Nm 1:24-25).
Terminada a conquista da terra de Canaã, a cada tribo de Ysrael foi dada uma parcela, como herança. A terra de Gade é uma alusão bíblica àquela porção que os homens dessa tribo receberam (I Sm 13:7) (Jr 49:1).
Ficava situada a leste do rio Jordão, em Gileade, ao norte do território que coube a Rúben, e separada do território dos amonitas pelo rio Jaboque. Porém, compreendemos que é muito difícil traçar linhas fronteiriças exatas entre tribos de atividades pastoris.
Em (Js 13:25), a terra de Gade é chamada metade das terras dos filhos de Amom. Isso não porque os amonitas, então, fossem os donos dessas terras, mas, porque a porção ocidental das margens do rio Jaboque antes tivera esse nome. As cidades principais da tribo eram chamadas de “Cidades de Gileade”. (Js 13:25).

Aser

Significa O sentido é “Abençõar!”, alguém “Feliz” (Felicidade) “É a minha Felicidade”
Filho de Yaakov com Zilpa, ama de Lia (Gn 30:13) Quando Ysrael partiu do Egito, essa tribo contava com cerca de 41.500 homens, o que o tornava a nona tribo em número, apenas com Efraim, Manassés e Benjamim menores que ela. Antes de entrar na terra de Canaã, houve um aumento de 11.900 homens.
A herança dessa tribo ficava em uma região extremamente frutífera, tendo o Líbano ao norte, o Carmelo ao sul e a tribo de Issacar a leste.
- No período do rei Davi, a tribo de Asher supriu guerreiros para o exército de Davi (I Cr 12:36)
- Após a queda de Ysrael, alguns aseritas ajudaram a reavivar a páscoa, em Yerushalim de acordo com as determinações de Ezequias (II Cr 30:11).

ISSACAR

Significa “HaShem me recompensou”. “Homem de aluguel”. (Por causa do aluguel pago a Raquel com as mandrágoras trazidas pelo seu filho Rúben). Esse era o nome do nono filho de Yaakov (quinto filho de Lia).
A tribo de Issacar era formada pelos descendentes, através de quatro famílias principais: “Os filhos de Issacar: Tola, Puva, Jó e Sinrom.” (Gn 46:13) (Nm 26:23-25) Quando foi feito o recenseamento em Ysrael, Issacar contava com 54.400 homens
O que fazia deles a quinta mais populosa tribo de Ysrael. (Nm 1:28-29) No segundo recenseamento, esse número já havia aumentado para 64.300 homens, o que fazia da tribo a terceira mais numerosa.
Quando o povo de Ysrael marchava pelo deserto, Issacar posicionava-se a leste do Tabernáculo. Essa posição era compartilhada por Judá e Zebulom (Nm 2:3-8). Nesse tempo, o líder da tribo era Natanael, Filho de Zuar (Nm 1:8)
O cântico triunfal de Débora menciona a tribo, cujos homens participaram da batalha contra Sísera. Essa batalha teve lugar na planície de Issacar. Um dos benefícios dessa vitória é que foi obtida uma passagem livre entre os israelitas da região montanhosa de Efraim e os Israelitas que viviam na Galiléia.
A fronteira oriental da tribo de Issacar era o rio Jordão. Para oeste, esse território estendia-se exatamente até a meio caminho para o Grande Mar, ou Mar Mediterrâneo. Compreendia a totalidade da planície de Esdrelom e os distritos circunvizinhos, e era considerado o celeiro de “Ysrael”. O território de Manassés fazia fronteira com o de Issacar a oeste e ao Sul.

ZEBULOM


Significa “honra” e “HaShem me concedeu excelente dote.” Nome do sexto filho de Lia e décimo filho de Yaakov “Zebulom”. Presente dado pelo noivo. A tribo de Zebulom era a Quarta maior tribo, tanto no começo quanto no final da peregrinação pelo deserto. (Nm 1:31) (Nm 26:26)
Em listas das 12 tribos, Zebulom normalmente segue Issacar (Nm 1:9; 2:7), mas na bênção de Moisés , Zebulom é mencionada primeiramente. (Dt 33:18)
A herança tribal de Zebulom é descrita em (Js 19:10-16). Seu território ficava na extremidade norte do vale de Jezreel, ao norte de Manassés, e de Issacar e ao sul de Aser e Naftali. Tanto (Gn 49:13) e (Dt 33:19) associam Zebulom com o mar. Talvez seja essa a referência básica ao comércio entre o Mar Mediterrâneo e o Mar da Galiléia, que enriqueceu a tribo de Zebulom.
Zebulom foi uma das tribos que conseguiu expulsar os cananeus (Jz 1:30), mas seus guerreiros foram altamente elogiados por sua bravura nas vitórias sobre Sísera e os cananeus. (Jz 4:6)
Quando Davi se tornou rei de todo Israel, Zebulom enviou-lhe um grande contingente de 50.000 soldados e amplas provisões. (I Cr 12:33-34)
A tribo de Zebulom é mencionada como Naftali como contemplada com a honra de receber “Yeshua HaMashiach” quando de seu advento.
“Mas, para os que estavam aflitos não haverá mais obscuridade. No passado ele tornou desprezível a terra de Zebulom e Naftali, mas nos últimos dias a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia das Nações. O povo que andava em trevas, viu uma grande luz; sobre os que habitam na região da sombra da morte resplandeceu a luz” “Yeshua HaMashich” (Is 9:1-2).

BENJAMIN

Significa “Filho da mão direita” HaShem ouviu o pedido de Raquel e lhe concedeu um outro filho, mas ela morreu devido a palavra de maldição lançada por Yaakov quando este questionava com Labão, “Não viva aquele com que achares os teus deuses;…” (Gn 31:32)
O filho mais novo de Yaakov e Raquel. A tribo de Benjamim estabeleceu-se em Canaã central (Js 18:21-28) entre Efraim e Judá, mas não expulsou totalmente os cananeus. A tribo de Benjamim, ainda que afamada por seus valentes soldados (Jz 20:15), sua população nunca foi muita, nem seu território destacado pelo tamanho.
“Ali está a pequena tribo de Benjamim que os conduz…” (Sl 68:27a)
O primeiro Rei de Ysrael confirma sua indicação, observando que vem da menor das tribos de Ysrael (II Sm 9:21). Apesar disso, Adonai nos permite analisar, ilustrando o princípio de que “Ele”, com freqüência, deixa de lado os de alta posição e alcança os tidos como insignificantes.
(Dt 33:12) “De Benjamim disse: O amado do Eterno Elohim habitará seguro com Ele; todo o dia o protegerá e descansará em seus braços.”
O apóstolo Shaul escrevendo à Igueret em Corinto ele declarou que a própria mensagem da cruz ser loucura para os que se perdem (I Co 1:18). Elohim escolheu usar pessoas que o mundo considera tolas, fracas e inconseqüentes para comunicar a real mensagem do evangelho.
“Pelo contrário, Elohim escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios, e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Elohim escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; Para que ninguém se vanglorie na presença de HaShem” (I Co 1:27-29 ).

JOSÉ

Filho querido de Jacó. Vendido por seus irmãos aos mercadores arabes ,depois negociado como escravo no egito.Na vida deste homem houve muitos altos e baixos ,mas como todo homem de Deus foi honrrado e recebeu a herança da parte de Deus. Os filhos de Yosef tiveram a sua porção de território na parte central de Canaã, no ocidente, e tudo indica que o território de Efraim e Manassés era comum (Js 16; 17:14).
Eles não expulsaram os cananeus de suas cidades, embora os tenham subjugado (Js 16:10).
A região era bastante produtiva, de maneira que o povo desfrutava de vida próspera. Infelizmente, a medida da bênção material não encontrou correspondência no poder espiritual; pelo contrário, houve declínio e decadência (Is 28:1-4) (Jr 31:18) (Os 9:13; 10:11).
MANASSÈS
Significa “Que faz esquecer” Era o filho primogênito mas foi preterido por Yaakov seu avó o qual deu a benção da primogenitura a Efraim seu irmão.
Efraim foi o mais novo dos filhos de José e Asenate que lhes nasceram no Egito. Juntamente com seu irmão Manassés, foi adotado por Yaakov, tornando assim o progenitor das duas tribos israelita. Yaakov ao abençoar Efraim deu-lhe prioridade em relação a Manassés (Gn 48).
EFRAIN
Significa “FRUTO DUPLO”, Quantidade dobrada de madeira: Eu serei duplamente frutífero “FRUTIFICAÇÃO”. Ele nasceu no período dos sete anos de abundância, que produziram o bastante para salvar milhares e milhares de pessoas da fome ameaçadora.
Fonte:http://www.restaurandoisrael.com.br/?p=12
Quem pecou. Ele ou seus pais?

 

E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo:
Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. João 9.2-3.

Não importa o que aconteça, sempre haverá a repetição das mesmas coisas.
O Senhor Jesus sempre tem a resposta certa para a nossa indagação.
Quem pecou para que alguém seja tão infeliz?
Nossa infelicidade acontece quando escolhemos algo que não tenha valor eterno, e que não seja um bem real.
Quando nossa alma escolhe algo para si que não tem valor para com Deus, ela está escolhendo se rebaixar ao nível da irracionalidade.
Isso equivale a descer ao nível da criatura inferior.
Por essa escolha jamais sentirá a benção de Deus porque não há recompensa para a formiga por cortar a folha, nem para o vento por soprar a terra.
Como também não haverá recompensa nem castigo para os irracionais quando devoram ou poupam os de sua espécie.
Desde o principio o homem sempre procura um responsável para justificar sua vontade e manter a condição de pecador, não ignoramos isso!
O marido põe a culpa na mulher pelo mau comportamento dos filhos. Os filhos culpam os pais por sua incapacidade até mesmo em conseguir um emprego.
A nação culpa o governo por não conseguir emprego.
Mas, a bíblia é enfática: II Reis 14.6… Cada um será morto pelo seu próprio pecado.
O meu fracasso não é responsabilidade de ninguém porque sou senhor de minha decisão.
Posso prever meu futuro pelo meu comportamento no presente.
Jesus advertiu, o homem prudente constrói sua casa na rocha.
Mateus 07. 24. Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha.
E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.
Quando falo em coisas firmes advirto:
Como vai ser com a tua alma quando entrar na eternidade?
Muitos me diriam, Deus é que sabe! Considero que a minha pergunta não foi respondida.
E prossigo na minha investigação.
Você não gostaria de saber? – talvez obtivesse por resposta, ninguém sabe!
O Senhor Jesus deu uma luz a esse respeito:
Quem está em trevas não sabe para onde vai. I João 2.11.
Quem anda na luz terá a luz da vida. João 8.12. Linda resposta.
Não culpe ninguém por não ter certeza da tua salvação, venha conhecer o Senhor Jesus.
Ele te garante que aquele que o segue, não provará a condenação.
Ninguém pecou para que você fosse infeliz.
Essa amargura pela qual você esta passando é resultado da escolha que tua alma fez no mundo das coisas inferiores em busca da felicidade.
Deus é o cominho da felicidade.
E o caminho para ele esta em reconhecer seu filho unigênito como Senhor e Salvador de tua alma.
Ao escolher as coisas de cima, a alma flui rumo a excelência divina e restaura sua semelhança com o criador.
O Filósofo cristão da Idade Média Santo Agostinho disse que “o mal é a deficiência do ser”.
Não se trata de uma substância.
Satanás foi deficiente na escolha dele próprio, em lugar de Deus.
O homem foi deficiente quando não escolheu obedecer a Deus dando ouvido ao tentador.
O primeiro por deliberação, e o segundo por indução.
Ambos foram deficientes, e caíram no mal.
Entretanto, Deus condenou o homem por ter pecado.
Mas, adverte; “Deus não enviou seu filho ao mundo para que condenasse o mundo, mas, para que o mundo fosse salvo por Ele. Quem crê nele não é condenado”.
Sendo o dono de minha vontade, posso escolher o meu futuro.
A alma que culpa outra é porque rompeu consigo mesma e aboliu a decisão de fazer a escolhe do bem, (Jesus).

Deus te abençoe.

 Pr. J. A. de Oliveira.
Fonte: http://iprr.wordpress.com



 Obedecer cegamente sem perguntar
 “por que?”.



Estando nas mãos do Deus Eterno o presente, o passado e o futuro, que põem e dispõe o movimento da Vida humana, animal, terrenal e sideral; como argumentar o agir de ser tão poderoso que atende por Deus, o Senhor, Deus dos Exércitos, etc.?


Como compreender Seu movimento quando pede ao homem obediência a uma ordem humanamente absurda? 
Procurei na Biblia exemplos de obediencia e de desobediencia e encontrei estes:



Se Deus não é homem para que minta sobre um juramento que fez por si mesmo por não ter por quem jurar: “certamente te abençoarei e te multiplicarei”, como agora não fazer o sacrifício da razão da promessa?

porque a ordem era tirar Israel do Egito por uma promessa feita a Abraão. Não cabia a Moisés argumentar.

Sobrevieram dores e faltaram forças a Daniel ao ouvir e não entender visão para dias tão distantes. A ordem era: “escreva” e o profeta escreveu apesar de indagar: “meu senhor, qual será o fim destas coisas?”Não entendia a si próprio e, com certeza houve quem o julgasse visionário, ou melhor, teologicamente inconveniente. 
“quem lê, entenda” disse Jesus. Isto é: busque o entendimento.

porque o Eterno não se prende a convenções humanas.


Quando Jonas decidiu que Nínive deveria ser destruída não pensou duas vezes ao se esconder em um navio como se pudesse mudar a ordem eterna. A desobediência lhe custou três dias na barriga de um peixe e um pegajoso vômito.

Ao profeta que profetizou contra o altar nos dias de Jeroboão coube a morte ao ceder à mentira do profeta velho que apesar da idade, não se envergonhou de enganar em nome de Deus. Trágico fim para a desobediência.

Não lhe cabia entender e nem se envergonhar. Teria suas “vergonhas expostas” por ordem de Deus.


João não entendia, mas repetiu sete vezes: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.”: “Escreve, pois, as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas.” João escreveu obedecendo.

Amigo.
Nos livros eternos estavam escritos o que Deus ordenaria a estes servos muito antes que existissem.
Nos livros eternos foram escritos os dias de todos os homens quando nem um deles ainda havia. Inclusive...

O seu e o meu.

Entretanto, seus propósitos dão muitas voltas, como deu Israel no deserto por 40 anos, para que só a nova geração tomasse posse da promessa.
Muitas vezes somos o obstáculo.

A desobediência tem três finais:

• a transferência da promessa – a nova geração      • o castigo – Jonas                                
• a morte – o homem de Deus dos dias de Jeroboão.

A obediência tem o melhor de Deus –

“mais do que pedimos ou pensamos”.

Eu decidi: “eis aqui a tua serva, cumpra-se em mim segundo a sua vontade”
Mesmo que não seja o que eu queira ou goste. Mas eu sei que é o melhor.

“Deus tem o melhor para mim.”   Tem o melhor para você!

O que você decide?
Fonte: http://idefeitosa.blogspot.com.br

domingo, 13 de maio de 2012


DIA DAS MÃES
Êxodo 2.1-10

EXEMPLO DE MÃE.


INTRODUÇÃO:

Vamos homenagear as mães neste dia contando a história de uma mãe exemplar da Bíblia que foi a mãe de Moisés. Há um ditado que diz ‘por traz de todo grande homem, há sempre uma grande mulher’. É verdade. Moisés é conhecido em todo o mundo e embora sua mãe não seja lembrada nem pelo nome, certamente ela foi importante para sua formação ao ponto de chegar a ser esse grande homem.
A filha do Faraó, princesa do Egito certamente era também uma grande mulher que deus usou para influenciar a formação de Moisés. Com isso aprendemos que existem mães de todo tipo, mesmo sendo ou não biológicas desde que sejam do coração.
O faraó temia uma revolta por parte do povo de Israel que morava no Egito desde a fome que teve no tempo em que José era governador. Como o povo de Israel estava crescendo muito, Faraó mandou as parteiras matarem as crianças. Elas temeram a Deus e não fizeram isso. Mesmo assim o faraó mandou matar todos os bebês do sexo masculino jogando-os no rio Nilo para que morressem afogados.
Deus em sua soberana vontade tinha um plano para a vida de Moisés e para salvar o seu povo do Egito. Onde esta criança poderia ser educada e protegida destes perigos? Na casa do próprio Faraó! A filha do Faraó pagou o salário da mãe de Moisés para criar seu próprio filho (v.9). Sendo assim, como uma ‘ironia divina’, o salvador do povo de Deus foi criado pelo inimigo. Com isso aprendemos que os inimigos que se levantam contra nós não podem nos atingir sem a permissão de Deus.
A mãe de Moisés se chamava Joquebede (Êxodo 6.20 e Números 26.59). Sabemos que mesmo Moisés sendo  forçadamente adotado pela Filha do Faraó, Joquebede encontrou uma maneira de manter contato com seu filho e ensinar-lhe os princípios de Deus.

O que uma mãe é capaz de fazer por seu filho?

Vamos refletir no exemplo de Joquebede e aprender algumas virtudes das mães.


1- Coragem: v.2,3

Ela sabia que não tem como esconder uma criança por muito tempo então resolveu agir. Ela correu o risco.
Joquebede teve coragem para:
-esconder a criança, sabendo que os soldados caçavam bebês do sexo masculino;
-colocar o neném no rio, dentro de um cesto bem preparado para não afundar;
-ir ao rio na hora que filha do faraó fosse tomar banho, quando a princesa fosse tomar banho ninguém podia estar perto a não ser as donzelas que eram suas criadas. Mesmo assim Joquebede teve coragem de ir lá levar o neném.
-enfrentar a filha do Faraó, quando chamou Joquebede para amamentar a criança ela poderia descobrir seu plano e tudo acabar, mas preferiu correr o risco.
Quantas mães têm coragem de fazer coisas nunca pensadas antes. Uma mãe consegue forças para fazer o máximo por um filho sendo capaz de se doar totalmente.
Com certeza essa coragem vem de Deus. Joquebede devia orar por seu filho e dedicar sua vida para que Deus cumprisse nele o Seu propósito.

Mãe é exemplo de coragem!
2- Criatividade: v.4-7

Outra qualidade de Joquebede foi a criatividade para:
-fazer o cesto, de junco vedando suas gretas conseguindo os materiais próprios para isso (betume e piche) que não deviam ser fáceis de arranjar, mas ela deu um jeito.
-colocar no carriçal, que são os matos da beirada do rio, ou seja, o lugar certo para não deixar o cesto afundar.
-mandar a irmã vigiar, Miriã era o nome da irmã de Moisés e ela ficou vigiando para a mãe que certamente não agüentava olhar a cena. Isso garantiria que nada daria errado.
-na hora do banho da filha do Faraó, colocou o cesto com a criança de maneira que a correnteza o levasse até a princesa e chegasse até ela no momento certo.
-Mandar Miriã oferecer ajuda, como quem não sabia de nada a menina ofereceu arranjar uma mulher para amamentar o bebê.
As mães são criativas no sustento de sua família criando formas de manter seus filhos com o que tem. Sempre as mães dão um jeito de resolver os problemas dos filhos.
O Espírito Santo de Deus dá capacidade às mães para criar soluções para a família. Joquebede era uma mulher de oração, por isso era inspirada por Deus.

Mãe é um exemplo de Criatividade!
3- Determinação: v.10

Do início ao fim Joquebede determinou que:
-não deixaria seu filho morrer, pois sabia que ele era escolhido por Deus, por isso teve coragem e criatividade;
-cuidando do menino, mesmo correndo risco de ser descoberta ela não temeu por que confiava na proteção de Deus;
-entregando para a princesa, sabendo que seria criado com o melhor e que Deus tinha um propósito para ele. Ela não hesitou em entregar o menino por que entendeu que tudo fazia parte do plano de Deus para preparar Moisés para liderar o povo de Deus.
Toda mãe tem essa determinação capaz de vencer tudo para abençoar seus filhos. Essa garra faz parte do instinto materno de toda mulher. Quando uma mãe quer abençoar seu filho ela vai até o fim.
Joquebede foi uma mulher determinada. Isso fez uma grande diferença na vida de Moisés que aprendeu a perseverar no deserto.
Mãe é um exemplo de Determinação!

Vamos aprender com o exemplo das mães!

CONCLUSÃO:

Essa mulher desconhecida da Bíblia é um grande exemplo e deixou sua marca não em seu nome, mas em seu filho Moisés. Do mesmo modo todas as mães deixam sua marca em seus filhos formando seu caráter, personalidade, temperamento e espiritualidade.
Mãe é um exemplo de Coragem, Criatividade e Determinação!


FONTE:

DEIXE SEU COMENTÁRIO.

Visitantes Agora No Blog.