quarta-feira, 28 de novembro de 2012




 Obedecer cegamente sem perguntar
 “por que?”.



Estando nas mãos do Deus Eterno o presente, o passado e o futuro, que põem e dispõe o movimento da Vida humana, animal, terrenal e sideral; como argumentar o agir de ser tão poderoso que atende por Deus, o Senhor, Deus dos Exércitos, etc.?


Como compreender Seu movimento quando pede ao homem obediência a uma ordem humanamente absurda? 
Procurei na Biblia exemplos de obediencia e de desobediencia e encontrei estes:



Se Deus não é homem para que minta sobre um juramento que fez por si mesmo por não ter por quem jurar: “certamente te abençoarei e te multiplicarei”, como agora não fazer o sacrifício da razão da promessa?

porque a ordem era tirar Israel do Egito por uma promessa feita a Abraão. Não cabia a Moisés argumentar.

Sobrevieram dores e faltaram forças a Daniel ao ouvir e não entender visão para dias tão distantes. A ordem era: “escreva” e o profeta escreveu apesar de indagar: “meu senhor, qual será o fim destas coisas?”Não entendia a si próprio e, com certeza houve quem o julgasse visionário, ou melhor, teologicamente inconveniente. 
“quem lê, entenda” disse Jesus. Isto é: busque o entendimento.

porque o Eterno não se prende a convenções humanas.


Quando Jonas decidiu que Nínive deveria ser destruída não pensou duas vezes ao se esconder em um navio como se pudesse mudar a ordem eterna. A desobediência lhe custou três dias na barriga de um peixe e um pegajoso vômito.

Ao profeta que profetizou contra o altar nos dias de Jeroboão coube a morte ao ceder à mentira do profeta velho que apesar da idade, não se envergonhou de enganar em nome de Deus. Trágico fim para a desobediência.

Não lhe cabia entender e nem se envergonhar. Teria suas “vergonhas expostas” por ordem de Deus.


João não entendia, mas repetiu sete vezes: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.”: “Escreve, pois, as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas.” João escreveu obedecendo.

Amigo.
Nos livros eternos estavam escritos o que Deus ordenaria a estes servos muito antes que existissem.
Nos livros eternos foram escritos os dias de todos os homens quando nem um deles ainda havia. Inclusive...

O seu e o meu.

Entretanto, seus propósitos dão muitas voltas, como deu Israel no deserto por 40 anos, para que só a nova geração tomasse posse da promessa.
Muitas vezes somos o obstáculo.

A desobediência tem três finais:

• a transferência da promessa – a nova geração      • o castigo – Jonas                                
• a morte – o homem de Deus dos dias de Jeroboão.

A obediência tem o melhor de Deus –

“mais do que pedimos ou pensamos”.

Eu decidi: “eis aqui a tua serva, cumpra-se em mim segundo a sua vontade”
Mesmo que não seja o que eu queira ou goste. Mas eu sei que é o melhor.

“Deus tem o melhor para mim.”   Tem o melhor para você!

O que você decide?
Fonte: http://idefeitosa.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO.

Visitantes Agora No Blog.